sábado, 9 de maio de 2009

Carta aberta..


Minha amada mãe,
você foi criada para casar,ter filhos e ser dona de casa,no entanto, além deste papel,virou a página e tornou-se esta mulher linda,moderna,antenada a tudo,dinâmica e batalhadora.Sabe que é um exemplo para mim,né?
Tenho certeza que seus olhinhos vão encher de lágrimas ao ler esta pequena homenagem e o bacana é que estarei ao seu lado para abraçá-la mais uma vez.
Seu dia é todo dia para mim,mas já que criaram um em especial,lá vai mais alguns:EU TE AMO,EU TE AMO,EU TE AMO,EU TE AMO....

Depois disto tudo,bem que mereço aquele arroz com gengibre que só você sabe fazer. ...........

OBS/Pai,se olhar este texto,fica com ciúmes não.EU TE AMO,Sr Paulo!

Beijocas no coração......
Biela

Grupo Multidisciplinar para o Estudo do Linfoma Folicular (GELINFO) foi lançado em abril


O INCA, através de seu Serviço de Pesquisa Clínica, lançou na última semana de abril o Grupo Multidisciplinar para o Estudo do Linfoma Folicular (GELINFO). O GELINFO é formado por profissionais do Instituto que atuam tanto na área da assistência (Oncologia Clínica, Hematologia, Divisão de Patologia) como no âmbito da pesquisa básica e translacional (Serviço de Pesquisa Clínica e Centro de Transplante de Medula Óssea) sobre linfomas.Coordenado pelo pesquisador Gustavo Stefanoff e pela oncologista Adriana Scheliga, do Serviço de Oncologia Clínica do Hospital do Câncer I - unidade hospitalar de maior complexidade do INCA - o objetivo do grupo é estabelecer um fórum multidisciplinar de discussão e estudo para entendimento do linfoma folicular e propiciar as condições para o desenvolvimento de projetos de pesquisa na área básica e clínica. O grupo promove reuniões mensais toda última quarta-feira do mês, com apresentações de especialistas e discussões de artigos científicos.Os linfomas não-Hodgkin constituem um grupo heterogêneo de neoplasias hematológicas (tipos de câncer que acometem os sistemas sanguíneo e imunológico) dentre os quais, o linfoma folicular é o mais comum entre os tipos chamados indolentes (25% dos casos). De acordo com Stefanoff, esta neoplasia representa um desafio clínico para os médicos, devido à necessidade de se identificar mecanismos biológicos envolvidos no desenvolvimento e/ou na progressão do tumor que possam ser utilizados para desenhar novas estratégias terapêuticas.Neste contexto, desde o ano passado está sendo conduzido um estudo aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do INCA (CEP), o primeiro a propor uma abordagem retrospectiva sobre os fatores biológicos e clínicos com valor prognóstico em pacientes com linfoma folicular tratados na instituição no período de 1996-2006. “Com este projeto esperamos gerar dados que nos permitam conhecer o comportamento clínico dos nossos pacientes (resposta ao tratamento e sobrevida) e entender melhor os mecanismos moleculares envolvidos na origem e evolução da doença, analisando não apenas a célula tumoral, bem como as sub-populações celulares do micro-ambiente tumoral”, afirmou Gustavo Stefanoff. “Acreditamos que esta iniciativa poderá fortalecer o INCA. Em primeiro lugar, pela integração dos profissionais da saúde que atuam nas diferentes áreas (oncologistas, patologistas, biólogos, enfermeiros, etc.) e sobretudo pelas possibilidades de consolidar a liderança da instituição em estudos multidisciplinares com teste de novas drogas terapêuticas”, concluiu o coordenador do GELINFO.
fonte:Inca

Rio de Paz



fonte:Reaja Brasil

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Passeata e show no centro marcam Semana da Enfermagem.



Uma passeata pela Avenida Rio Branco, saindo da Candelária em direção à Cinelândia, culminando com a realização de um show em frente ao prédio da Câmara dos Vereadores com as apresentações de Dona Ivone Lara e Martinália. Os dois eventos, marcados para o próximo dia 21, uma quinta-feira, fazem parte das comemorações pela passagem da 70ª Semana Brasileira de Enfermagem, de 12 a 20 de maio.
O ato público organizado pelos profissionais de enfermagem tem por objetivo chamar a atenção da sociedade para a luta da categoria, que vem tentando junto ao Congresso regulamentar a jornada de trabalho de 30 horas semanais.
Os eventos relacionados à Semana Brasileira de Enfermagem levam a assinatura da Associação Brasileira de Enfermagem (ABEN-RJ); do Sindicato dos Enfermeiros do Município do Rio de Janeiro e ainda do Sindicato dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem, com o apoio do COREN-RJ.
O show na Cinelândia está marcado para começar a partir das 18h 30m, logo após o término da passeata. A festa contará com as apresentações de duas divas do mundo do samba, de gerações diferentes, porém, não menos adoradas: Dona Ivone Lara e Martinália. Dona Ivone, enfermeira aposentada desde 1977 e cujo talento se confunde com a história do samba. E Martinália, cuja voz e carisma no palco revelam a seu herança genética.

Tarsila do Amaral











Documentário

video

Mataram Irmã Dorothy, de Daniel Junge (They Killed Sister Dorothy, EUA, 2008, 94min).
Em 12 de fevereiro de 2005, a americana Dorothy Stang, de 73 anos, foi assassinada com seis tiros à queima-roupa em Anapu, no Pará. Estava entre as iniciativas da missionária ativista, que veio para o Brasil em 1967, a luta pela desapropriação de terras públicas controladas por grileiros. O diretor americano Daniel Junge mostra no intrigante documentário em cartaz no Shopping Frei Caneca como a polícia chegou até os responsáveis pelo crime. Em delicada retrospectiva dos fatos, a fita ganha a apreensão e o nervosismo da plateia durante o julgamento dos criminosos. Nada escapa à lente da verdade do realizador – das esdrúxulas estratégias da defesa à reação atônita do irmão da freira no tribunal. O filme fica ainda mais "quente" com a recente prisão do fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida. Considerado culpado pelo assassinato em 2007, ele teve novo julgamento no ano passado e saiu livre. Voltou à cadeia no último dia 9, depois que a Justiça anulou sua absolvição.

O longa “Mataram Irmã Dorothy” foi o grande vencedor da primeira edição do Festival Pan-Amazônico de Documentários

O que mudou? Nada!

"Irmã Dorothy morreu defendendo os assentamentos de Anapu, em terra pública, do governo. O que me revolta mais, é que o próprio governo, até hoje, faz muito pouco para defender essas terras e as pessoas que vivem ali", afirma o padre Amaro Lopes, da Comissão Pastoral da Terra(CPT).

“A defesa da Amazônia continua sendo regada com o sangue dos justos. Irmã Dorothy defendia como poucos o patrimônio nacional dos ataques dos grileiros e tentava, de maneira incansável, que o Estado se fizesse presente em regiões remotas da Amazônia.É inaceitável que os marginais continuem imperando na Amazônia, silenciando a voz daqueles que defendem a preservação e os povos da floresta contra os interesses de grileiros, madeireiros e fazendeiros que operam ilegalmente na região”. , disse Paulo Adário, coordenador da campanha da Amazônia, do Greenpeace.

O prefeito Paulo Mustrangi(PT) nada fez para gerar empregos em Petrópolis



Quase a metade dos petropolitanos ouvidos por pesquisadores do Instituto Datanexus – 49,5% – acha que o prefeito Paulo Mustrangi não fez nada, até agora, em favor do crescimento econômico e da geração de empregos no município. Somado aos 20,8% que disseram que o prefeito fez pouco nesta área, a avaliação negativa cresce para 70,3%. Apenas 6,8% disseram que Mustrangi fez tudo o que podia e 8,3% que fez bastante.Também com relação à atuação de Mustrangi na economia, a desconfiança da classe A é total: 100% dos consultados disse que o prefeito não fez nada no setor. A condenação é alta também entre os integrantes das classes C (54%) e D/E (50,7%). Na classe B, 31,5% dizem que o prefeito não fez nada no setor.Na tabulação dos resultados por sexo, 52,1% dos homens diz que nada foi feito, contra 47,1% das mulheres. No resultado por idade, é maior o número dos que acham que Mustrangi não fez nada entre as pessoas de 45 a 59 anos: 54,5%. Nas demais faixas, têm postura crítica em relação ao governo 52,3% dos que têm entre 25 e 34 anos e 50,5%, dos que têm entre 35 e 44 anos. As melhores posições do governo são alcançadas entre os jovens: de 16 a 17 anos, 42,9% dizem que Mustrangi não fez nada; e de 18 a 24 anos, 41,4%.

Em pauta:Segurança em Petrópolis

Tribuna de Petrópolis


quinta-feira, 7 de maio de 2009

O Brasil precisa se acertar com a sua História


"A professora Maria Aparecida de Aquino acha que o Brasil precisa se acertar com a sua História, especialmente a feita pelos movimentos populares." - Luiz Carlos Azenha

Vale clicar no link e ouvir:http://www.viomundo.com.br/radio/o-brasil-precisa-se-acertar-com-a-sua-historia/



“Fora Gilmar ! Fora Gilmar !Não tente nos calar !Não somos seus capangas !Deixe a Justiça prender Daniel Dantas !”

Alguns servidores públicos de Petrópolis ganham menos que um salário mínimo




O problema enfrentado por muitos profissionais da prefeitura que recebem menos de um salário mínimo, R$ 465, foi questionado por alguns dos vereadores presentes à sessão de ontem da Câmara dos Vereadores.Paulo Igor Carelli se manifestou sobre o assunto: “ Temos casos como o da auxiliar de serviços gerais e de um outro profissional da Secretaria de Educação, que recebem um salário inferior a um salário mínimo”.O vereador Dudu ainda informou que a situação é mais crítica para aqueles que aceitam o plano de saúde da prefeitura. “Para esses profissionais, a situação é ainda pior. Quem aceita o plano de saúde da prefeitura tem um desconto de 4% no pagamento. Se tiver dependentes, marido ou filho, o desconto aumenta. Mas a situação ainda piora quando se utiliza esse plano, pois é descontado o valor das consultas. Muitas vezes este indivíduo recebe uma faixa de R$ 200”, disse. O vereador Gil Magno disse que três funcionários da Comdep procuraram a Câmara dos Vereadores para reclamar sobre o problema. “Eles têm 20 anos de casa e recebem um salário abaixo do mínimo. Nem com o abono eles conseguem se aproximar do valor do mínimo. Esses funcionários merecem um mínimo de dignidade”, disse, pedindo o apoio do vereador Wagner Silva para que levasse a questão ao prefeito Paulo Mustrangi.
fonte:Tribuna de Petrópolis

Conto...

Penhascos

Por:Isabel Fontoura

Sou um ancião e sempre vivi na Chapada Diamantina, alojado entre grutas milenares que tremeram com a passagem da Coluna Prestes e com os tiros de Lampião. Sei das riquezas que estas cavernas escondem e das lendas que criam vida no ouvido das crianças.
Garimpeiro de muitas lavras, sonhava encontrar diamantes e uma gema tão sólida que eternizasse a minha história. Lendas de um homem que encontrou a prisão e a alforria junto às pedras preciosas.
Trabalhava dia após dia no garimpo para um coronel da região. Era parte do ofício envenenar os rios e matar os peixes em uma guerra de peneiras e dragas no ventre da terra, contudo, entre mercúrio, marte e a morte encontrava apenas cascalhos. O patrão ficava furioso e me castigava por achar que estava sendo roubado, não queria acreditar que naquela fazenda nada havia de valioso.
Uma noite, enquanto dormia, a Santa veio me visitar, desde que me tornei órfão, ainda pequeno, escolhi Nossa Senhora como minha madrinha, e ela me mostrava uma gruta iluminada à beira de um precipício, uma trajetória para os diamantes.
Lavrei com vigor, o sonho não me deixava, larguei minha peneira e subi córrego acima, andei umas duas léguas beirando o rio, nenhum capataz reparou e deparei-me com um penhasco, desci escorregando entre pedras e lamas até chegar ao começo da lapa. A entrada era sombria, o cheiro entorpecia-me, um bando de aves das cavernas esvoaçou sem me tocar, o medo assolou-me, nunca ouvira falar naquela gruta, todavia eu precisava desvendar aquele recanto de sombra e rochedo.
Um veio de água corria pelo lajedo; e, em meio à frieza do córrego, insetos cegos, embranquecidos pela noite incessante da caverna, fugiam dos meus passos. Nas paredes, desenhos de homens que viveram sob o manto de pedra e deixaram o registro no seio da gruta. A passagem era muito estreita, o ar parecia escapulir do meu corpo, apertava as mãos, os dentes travavam de frio, enquanto minhas pernas cambaleantes alcançaram uma senda que cintilava no subsolo, e; em meio à escuridão, uma claridade nunca vista ardeu-me os olhos.
O sonho materializou-se, havia opalas, águas-marinhas, ametistas. Muitas pepitas de ouro. Apanhei o máximo que pude e, ao sair, ouvi tiros: Cães, cavalos e capangas do coronel estavam a minha caça. Voltei à gruta e permaneci lá por muitas luas, alimentando-me de traíra crua e preás, devorei uma serpente que guizou em meus pés. Bebi água do rio que envenenara e sonhei com muitas lapas iguais a esta. Não queria mais sair: recluso no meu castelo de pedras, marajá com temor dos homens e das suas armas, cercado dos tesouros da mina de Nossa Senhora. Só e sozinho no calabouço, estava feliz.
A lapa, no entanto, enojou-se de mim, e a terra tremeu, fugi tropeçando nas estalagmites milenares construídas no gota a gota do suor do tempo. A gruta ficava cada vez mais escura e as pedras desabavam nas minhas costas, devo ter corrido muito, era zanga de Nossa Senhora, decepcionada com seu afilhado, e receio muito a fúria das mulheres. Na fuga, perdi as pedras que abraçava ao peito e, por mais medo da pobreza que da morte, engoli os diamantes que tinha no bolso. Avistei uma luz intensa ao final de um túnel comprido. Era a luminosidade do dia, o sol, a saída da cratera.
Embrutecido pelas pedras, desvalido pelo homem. Despertei no corredor de um hospital: tísico, demitido, homem sem saúde não serve para lida. Disseram que eu estava ali há alguns dias, falando frases soltas delirando de febre e clamando por Maria.
Convalescente, lavrei entre meus dejetos pedras brilhosas: eram diamantes, que se dissiparam aos ventos de aguardentes e bordéis, consegui apenas após duas décadas arrematar a fazenda do coronel, terras estas onde conheci a escassez e a fartura, o retiro e o encantamento. Subterrâneos. Alqueires onde selei minha sina de garimpeiro de lavras do desconhecido.
Hoje solto ecos nos penhascos, procuro a gruta de tesouro e de água envenenada que entre a rocha, a escuridão e a vida conduzirá meu caminho por trilhas sinuosas para escavar, naquela mina, um diamante de muitos quilates, lapidado pela engenhosidade do tempo. Pedra cintilante que contará a história de um velho garimpeiro, cego e sedento pelo brilho dos minerais, então descansarei naquele jazigo de jazidas, refúgio final de um peregrino.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

São 23:45 em Petrópolis ....

23:45hs em Brasília........O homem já mandou avisar que este movimento não o atinge,acabo de ouvir na rádio.
Meu heroís morreram de overdose,
Meu inimigos,
estão no poder
Ideologia
Eu quero uma para viver

Fiocruz adere ao Programa Nacional Pró-Equidade de Gênero


A ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), Nilcéa Freire, estará na Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), nesta sexta-feira (8), no evento que marcará a adesão da Fiocruz ao Programa Nacional de Pró-Equidade de Gênero da SPM e o lançamento da cartilha sobre a Lei Maria da Penha - elaborada pela Ensp - que trata do cumprimento dos Direitos Humanos das Mulheres, visando uma vida livre da violência de gênero. O seminário acontece às 9 horas, no Auditório Térreo da escola, e é aberto ao público.O Programa Nacional de Pró-Equidade de Gênero tem por finalidade eliminar todas as formas de discriminação no acesso, remuneração, ascensão e permanência no emprego. Também concede às instituições que se destacam na implementação de iniciativas inovadoras o Selo Pró-Equidade de Gênero - um instrumento que evidenciará o compromisso com a equidade de gênero e que visa à promoção da cidadania e à difusão de práticas exemplares entre as diferentes organizações.

(Fonte: Informe Ensp).

Reflexão...


O que você apagaria de sua memória?

Saúde Pública que queremos...onde está você?


A atenção à saúde da mulher na história das políticas de saúde no Brasil, tem sido cada vez mais relegadas a segundo plano.
É certo que houve um progresso nos anos 80,com a formulação de propostas e debates,incluindo pela primeira vez,serviços públicos destinados a ela,como,contracepção e atenção materno-infantil.
Em 2004 surgiu a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher.O objetivo é incorporar a promoção da saúde,com base nos dados epidemiológicos e as reinvindicações dos vários segmentos da população,incluindo as mais desfavorecidas como vítimas de violência,trabalhadoras rurais,presidiárias,etc
A proposta de que a mulher é um sujeito ativo no cuidado de sua vida,como foi idealizado,está longe de ser implementado nos serviços públicos.
O direito à saúde,pressuposto básico de cidadania, tem sido inefavelmente oferecido pelo metade a grande parte da população.
Quando a mulher entra em pauta, o quadro agrava, se for levado em conta a desigualdade social.Comparar regiões,classes socioeconômicas e etnias raciais é uma covardia e mostra a mais terrível face do descaso.
Plagiando um "molusco "- nunca na história deste país - as questões ligadas à decisão da mulher em regular a fecundidade,aborto e suas consequências e a violência com suas magnitudes,foram tão pouco discutidos por políticos e sociedade.
É necessário,talvez,que haja necessidade de mais meninas grávidas pelos pais.É necessário,talvez,mais mulheres com hpv no interior do Brasil com chance de viver com um câncer de útero.É necessário,talvez,que haja mais mulheres que nunca tiveram a chance de realizar um preventivo.É necessário,talvez,que haja necessidade de mais casos de câncer de mama, pelo simples fato de não existir mamógrafos suficientes.É necessário,talvez,que mais crianças e mães morram na hora do parto por falta de prénatal adequado.É necessário,talvez,que mais famílias cresçam sem a chance de saber o que é planejamento familiar e as complicações que a falta dela ocasiona.É necessário, talvez, que tenhamos que ter mais desdentados.
Ósculos e Amplexos

Gabi

Cada grande guerra se “justifica” pelo que mais tarde (demasiado tarde) aparecerá como uma simples desinformação. Um rápido inventário:

1) Vietnã (1964-1975)
Mentira midiática: Nos dias 2 e 3 de agosto o Vietnã do Norte teria atacado dois barcos dos Estados Unidos na baía de Tonkin.O que se saberá mais tarde: Esse ataque não aconteceu. Foi uma invenção da Casa Branca.
Verdadeiro objetivo: Impedir a independência de Vietnã e manter o domínio dos Estados Unidos na região
Conseqüências: Milhões de vítimas, malformações genéticas (agente laranja), enormes problemas sociais.
2) Granada (1983)
Mentira midiática:: A pequena ilha do Caribe foi acusada de que nela se construía uma base militar soviética e de trazer perigo à vida de médicos americanos.O que se saberá mais tarde: Absolutamente falso. O Presidente Reagan inventou esses pretextos.
Verdadeiro objetivo: Impedir as reformas sociais e democráticas do premiê Bishop (depois assassinado)
Conseqüências: Brutal repressão e restabelecimento da tutela de Washington.
3) Panamá (1989)
Mentira midiática: A invasão tinha o objetivo de prender o presidente Noriega por tráfico de drogas.O que se saberá mais tarde: Formado pela CIA o presidente Noriega reclamava a soberania ao fim do acordo do canal, o que era intolerável para os Estados Unidos.
Verdadeiro objetivo: Manter o controle dos Estados Unidos sobre essa estratégica via de comunicação.
Conseqüências: Os bombardeios dos Estados Unidos mataram entre 2 e 4 mil civis, ignorados pelos meios.
4) Iraque (1991)
Mentira midiática: Os iraquianos teriam destruído parte da maternidade da cidade de Kuwait.O que se saberá mais tarde: Invenção total da agência publicitária Hill e Knowlton, paga pelo emir de Kuwait.
Verdadeiro objetivo: Impedir que o Oriente Médio resista a Israel e se comporte com independência em relação aos Estados Unidos.
Conseqüências: Inumeráveis vítimas da guerra, depois um longo embargo, inclusive de medicamentos.
5) Somália (1993)
Mentira midiática: O senhor Kouchner aparece na cena como herói de uma intervenção humanitária.O que se saberá mais tarde: Quatro sociedades americanas tinham comprado uma quarta parte do subsolo somali, rico em petróleo.
Verdadeiro objetivo: Controlar uma região militarmente estratégica.
Conseqüências: Não conseguindo controlar a região os Estados Unidos a manterão num prolongado caos.
6) Bósnia (1992-1995)
Mentira midiática: A empresa americana Ruder Finn e Bernard Kouchner divulga a existência de campos de extermínio sérvios.O que se saberá mais tarde: Ruder Finn e Kouchner mentiram. Eram apenas campos de prisioneiros. O presidente muçulmano Izetbegovic o admitiu.
Verdadeiro objetivo: Quebrar uma Iugoslávia demasiado esquerdista, eliminar seu sistema social, submeter a zona às multinacionais, controlar o Danúbio e as estratégicas rotas dos Bálcãs.
Conseqüências: Quatro atrozes anos de guerra para todas as nacionalidades (muçulmanos, sérvios, croatas). Provocada por Berlin, prolongada por Washington.
7) Iugoslávia (1999)
Mentira midiática: Os sérvios cometem um genocídio contra os albaneses do Kosovo.O que se saberá mais tarde: Pura e simples invenção da OTAN como o reconheceu Jaime Shea, seu porta-voz oficial.
Verdadeiro objetivo: Impor o domínio da OTAN nos Bálcãs e sua transformação em polícia do mundo. Instalar uma base militar americana no Kosovo.
Conseqüências: Duas mil vítimas dos bombardeios da OTAN. Limpeza étnica de Kosovo pelo UCK, protegido pela OTAN.
8) Afeganistão (2001)
Mentira midiática: Bush pretende vingar o 11 de setembro e capturar Bin LadenO que se saberá mais tarde: Não existe nenhuma prova da existência dessa rede. Além disso, os talibãs tinham proposto extraditar Bin Laden.
Verdadeiro objetivo: Controlar militarmente o centro estratégico da Ásia, construir um oleoduto que permitisse controlar o abastecimento energético do sul da Ásia.
Conseqüências: Ocupação extremamente prolongada e grande aumento da produção e tráfico de ópio.
9) Iraque (2003)
Mentira midiática:: Saddam teria perigosas armas de destruição, afirmou Colin Powell nas Nações Unidas, mostrando provas.O que se saberá mais tarde: A Casa Branca ordenou falsificar esses relatórios (assunto Libby) ou fabricá-los.
Verdadeiro objetivo: Controlar todo o petróleo e chantagear seus rivais; Europa, Japão, China…Conseqüências: Iraque submerso na barbárie, as mulheres devolvidas à submissão e ao obscurantismo.
10) Venezuela – Equador (2008?)
Mentira midiática: Chávez apoiaria o terrorismo, importaria armas, seria um ditador (o pretexto definitivo parece não ter sido escolhido ainda).
Verdadeiro objetivo: As multinacionais querem seguir com o controle petroleiro e de outras riquezas de toda América Latina, temem a libertação social e democrática do continente.
Conseqüências: Washington empreende uma guerra global contra o continente: golpes de estado, sabotagens econômicas, chantagens, estabelecimento de bases militares próximas às riquezas naturais.

Fonte:Blog do Mello

Esta sou eu para os "políticos" deste país "democrático"

Muito prazer,meu nome é Gabriela


O cara está trabalhando na surdina mesmo.....Diz uma coisa e faz outra......
Encaminhou o projeto de lei - PL 02/2009 para a privatização da Saúde e da Educação no Rio de Janeiro.
Que venham os cabides de emprego,funcionários fantasmas,dinheiro no bolso da pilantragem(viagens magníficas serão feitas),povo doente,filas para lá de quilomêtricas....
Funcionários públicos entregues a gestores privados?Nunca na história deste país....
Sifu,eu......Sifu,você!
Ósculos e Amplexos
Gabi

Quando a porta torna-se seu tormento...




Qual sua atitude diante destes sintomas?Imagine-se nesta situação!


"De repente os olhos embaçaram, eu fiquei tonto, não conseguia respirar, me sentia fora da realidade, comecei a ficar com pavor daquele estado, eu não sabia aonde ia parar, nem o que estava acontecendo..."

" ...era uma coisa que parecia sem fim, as pernas tremiam, eu não conseguia engolir, o coração batendo forte, eu estava ficando cada vez mais ansiosa, o corpo estava incontrolável, eu comecei a transpirar, foi horrível..."

"Depois da primeira vez eu comecei a temer que acontecesse de novo, cada coisa diferente que eu sentia e eu já esperava... ficava com medo, não conseguia mais me concentrar em nada... deixei de sair de casa, eu não conseguia nem ir trabalhar."

"Quando começa eu já espero o pior, "aquilo" é muito maior do que eu, o caos toma conta de mim, é como uma tempestade que passa e deixa vários estragos... principalmente eu me sinto arrasada. Eu sempre fico com muito medo de que aquilo ocorra de novo... minha vida virou um inferno."


O que é Transtorno ou Síndrome do Pânico ?

A Síndrome do Pânico é um transtorno psicológico caracterizada pela ocorrência de inesperados ataques de pânico e por uma expectativa ansiosa sobre a possibilidade de ter novos ataques.
Os ataques de pânico - ou crises de pânico - consistem em períodos de intensa ansiedade, geralmente com início súbito e acompanhados por uma sensação de catástrofe iminente. A freqüência das crises varia de pessoa para pessoa e sua duração é variável, sendo geralmente de alguns minutos.
Há crises de pânico mais completas e outras menores, com poucos sintomas. No geral, as crises de pânico apresentam pelo menos quatro dos sintomas abaixo:
Taquicardia, falta de ar, dor ou desconforto no peito, formigamento, tontura, tremores, náusea ou desconforto abdominal, embaçamento da visão, boca seca, dificuldade de engolir, sudorese, ondas de calor ou frio, sensação de irrealidade, despersonalização, sensação de iminência da morte.
Geralmente as crises de pânico se iniciam a partir de um susto em relação a alguma reação do corpo. A partir desta reação inicial de ansiedade, surge na mente da pessoa uma série de interpretações negativas sobre o que está ocorrendo, sendo muito comuns alguns pensamentos catastróficos como o de que a pessoa está perdendo o controle, vai desmaiar, está enlouquecendo ou que vai morrer .
No intervalo entre as crises a pessoa costuma viver na expectativa constante de ter uma nova crise. Este processo, denominado ansiedade antecipatória, leva muitas pessoas a evitarem certas situações e a restringirem suas vidas a um mínimo de atividades.

Para saber mais,leia:

O estranho que me habita - http://www.psicoterapia.psc.br/scarpato/t_panforma.html

fonte:ARTUR SCARPATO

Paulo Henrique, Mino e Nassif venceram - com a ajuda dos internautas

Uma batalha completamente desigual. De um lado, o poder da TV Globo, da Folha, da Veja, do Estadão - da maior parte da mídia corporativa brasileira, em defesa de seu sócio e patrocinador, o banqueiro Daniel Dantas. De outro lado, um verdadeiro exército de Brancaleone: Paulo Henrique Amorim, Luís Nassif, Mino Carta e alguns milhares de internautas.

Lá em Bauru se diz que empate fora de casa é vitória. Pois não é que essa coalizão improvisada conseguiu equilibrar a disputa pela opinião pública?

Conheço os três jornalistas acima citados. Estou certo de que divergem em 70% de suas opiniões. Mas com jornalista é assim mesmo: é difícil encontrar dois que concordem. Em torno deles uma verdadeira "frente" eletrônica se formou para desmascarar as informações distorcidas ou mentirosas oferecidas ao público pela turma do banqueiro. Falta esclarecer, ainda, quais são exatamente as relações econômicas entre Dantas e os grupos midiáticos. Uma tarefa essencial para que os leitores, ouvintes e telespectadores entendam como funciona a "cozinha" do noticiário.

Leandro Fortes, Mauro Santayanna, o pessoal do Terra Magazine e dezenas de outros jornalistas se engajaram na tarefa de desmascarar os que estavam por trás dos interesses do banqueiro, alegando fazer isso contra um certo "estado policial".

Paulo Lacerda e Protógenes Queiroz pagaram um preço altíssimo por enfrentar os interesses de Dantas. Mas, no essencial, preservou-se a Operação Satiagraha e o juiz Fausto De Sanctis se manteve no cargo. O presidente do STF, Gilmar Mendes, foi completamente desmoralizado, especialmente depois da explosão de Joaquim Barbosa no tribunal.

Continua difícil de acreditar que Mendes tenha se deixado usar em duas farsas promovidas pela revista Veja: a da escuta ambiental no prédio do STF e a do grampo sem áudio. Nunca surgiram provas materiais das "denúncias" produzidas nos laboratórios da Abril com o objetivo de queimar Lacerda e Protógenes.

Amanhã, às 19 horas, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, manifestantes pretendem dar o pontapé inicial em uma campanha pelo impeachment de Gilmar Mendes.

O passo seguinte e natural da campanha, em 2010, será trabalhar contra a reeleição dos deputados Marcelo Itagiba e Raul Jungmann, que prestaram ótimos serviços ao banqueiro no Congresso.

Ao longo dos últimos meses, em torno desse tema se cristalizou a importância da internet como fonte de informação no Brasil. Do Vermelho ao RS Urgente, do Idelber Avelar ao Rodrigo Vianna, do Mello ao Eduardo Guimarães, temos hoje dezenas de blogs e sites de altíssima qualidade, fazendo não só a crítica da mídia, mas oferecendo informação que não sai na "grande imprensa".

Hoje encontrei, por acaso, com o Paulo Henrique Amorim. Ele concorda com essa avaliação de que foi possível, graças à internet, enfiar uma bola nas costas dos barões da mídia. Mas, obviamente, isso não saiu de graça.

Luís Nassif, que com a sua série sobre a revista Veja explicou de forma didática as falcatruas da revista, gasta tempo e dinheiro se defendendo nos tribunais.

PHA responde a 8 processos de gente ligada direta ou indiretamente a Dantas.

E o Conversa Afiada tem estado sob constante ataque de crackers nas últimas semanas, razão pela qual o jornalista decidiu transferir o site para um novo servidor.

Ainda assim, estou certo de que ambos - e, sem dúvida o Mino Carta - acreditam que valeu a pena.

por: Luiz Carlos Azenha

Por um fio....


Tenho visto em vários outdoors da cidade do Rio,manifestações,para lá de justas, contra os baixos salários,falta de condições de trabalho e preocupação com a saúde do professor.Neste último item, vale responder a uma pergunta do outdoor.


VOCÊ SABE O QUE É SÍNDROME DE BURNOUT?


A Síndrome de Burnout é uma doença psicológica caracterizada pela manifestação inconsciente do esgotamento emocional. Tal esgotamento ocorre por causa de grandes esforços realizados no trabalho que fazem com que o profissional fique mais agressivo, irritado, desinteressado, desmotivado, frustrado, depressivo, angustiado e que se avalia negativamente.


SINTOMAS EMOCIONAIS: avaliação negativa do desempenho profissional, esgotamento, fracasso, impotência, baixa auto-estima.
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS OU TRANSTORNOS PSICOSSOMÁTICOS: fadiga crônica, dores de cabeça, insônia, úlceras digestivas, hipertensão arterial, taquicardia, arritmias, perda de peso, dores musculares e de coluna, alergias, lapsos de memória.
ALTERAÇÕES COMPORTAMENTAIS: maior consumo de café, álcool e remédios, faltas no trabalho, baixo rendimento pessoal, cinismo, impaciência, sentimento de onipotência e também de impotência, incapacidade de concentração, depressão, baixa tolerância à frustração, ímpeto de abandonar o trabalho, comportamento paranóico (tentativa de suicídio) e/ou agressividade

A pessoa que apresenta tal síndrome, além de manifestar as sensações acima descritas, perde consideravelmente seu nível de rendimento e de responsabilidade para com as pessoas e para com a organização que faz parte. Pode ocorrer em profissionais de diferentes áreas que possuem contato direto com pessoas,como profissionais de saúde, professores, policiais.
A Síndrome de Burnout pode ser prevenida quando os agentes estressores no trabalho são identificados, modificados ou adaptados à necessidade do profissional, quando se prioriza as tarefas mais importantes no decorrer do dia, quando se estabelece laços pessoais e/ou profissionais dando-os importância, quando os horários diários não são sobrecarregados de tarefas, quando o profissional preocupa-se com sua saúde e quando em momentos de descontração assuntos relacionados ao trabalho não são mencionados. O tratamento para a doença é variável, pois podem ser iniciados a partir de fitoterápicos, fármacos, intervenções psicossociais, afastamento profissional e readaptações.

É importante ressaltar que a Síndrome de Burnout é diferente da depressão, pois a síndrome está diretamente ligada com situações ligadas ao trabalho, enquanto a depressão está ligada a situações pessoais relacionadas com a vida da pessoa.
fonte:FRANCO, A C.L & Rodrigues, A.L. Stress e trabalho: guia prático com abordagem psicossomática. São Paulo: Atlas, cap.2, 1997.

Monet


terça-feira, 5 de maio de 2009

Como nasce a violência?

video

Lei 11.664/2008



Prioridade do Programa Mais Saúde, do Ministério da Saúde, as ações de controle do câncer de mama e de colo do útero no Sistema Único de Saúde (SUS) passarão a ser asseguradas pela Lei 11.664/2008, que entra em vigor nesta quarta-feira, 29 de abril. A legislação dispõe sobre a atenção integral à mulher e trata da efetivação das ações de prevenção, detecção e tratamento dos cânceres de colo do útero e de mama estabelecidas pela Política Nacional de Atenção Oncológica e pelo Programa Nacional de controle da doença.
Hoje, toda mulher brasileira, de qualquer idade, tem garantido acesso gratuito à mamografia para diagnóstico de câncer de mama no Sistema Único de Saúde quando houver indicação médica. Para rastreamento populacional do câncer de mama, ou seja, o monitoramento das mulheres sem sintomas, as recomendações do Documento de Consenso para o Controle do Câncer de Mama são exames clínico anual das mamas na faixa de 40 a 49 anos e mamografia em mulheres de 50 a 69 anos, com intervalo de dois anos.
Ao estabelecer que todas as mulheres têm direito à mamografia a partir dos 40 anos, a nova legislação suscitou dúvidas em relação à possível mudança da faixa etária para rastreamento. Para discutir o tema e dar subsídios técnico-científicos ao debate, o Instituto Nacional de Câncer promoveu o Encontro Internacional sobre Rastreamento de Câncer de Mama
, realizado nos dias 16 e 17 de abril, no Rio de Janeiro. Durante dois dias, especialistas da Europa, Estados Unidos, Chile e Canadá apresentaram as experiências bem-sucedidas implementados em seus países.
O documento final do encontro, em fase de conclusão, indica parâmetros importantes para direcionar a implementação de um programa efetivo de rastreamento no Brasil. A experiência internacional indica que a faixa etária de melhor custo-efetividade para rastreamento de câncer de mama por mamografia é de 50 a 69 anos. Também aponta a importância de garantir e constantemente melhorar a qualidade em todas as etapas do processo de rastreamento, desde a informação e convocação individual para os exames, até a avaliação das anormalidades, diagnóstico e tratamento subsequentes.
Durante o encontro, quer reuniu representantes da sociedade civil, profissionais da saúde, ONGs e demais instituições ligadas ao controle do câncer de mama, foi comum o discurso sobre a necessidade de efetivação de um programa de rastreamento no país. Os especialistas mostraram a necessidade de ações estruturadas a partir de projetos-piloto, controle permanente da qualidade e definição de atribuições para implementação, supervisão e monitoramento de resultados. “Ampliar a discussão para a questão do rastreamento é um desserviço, visto que não há evidências científicas que justifiquem essa ampliação”, alertou o diretor geral do INCA, Luiz Antonio Santini.
Para garantir ações efetivas no controle do câncer de mama, o Ministério da Saúde vai contar, ainda este ano, com um banco de dados que permitirá traçar um mapeamento inédito da doença no país. O Sistema de Informação do Controle do Câncer de Mama (Sismama), instituído pela portaria 779 da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS) em 31 de dezembro de 2008, vai registrar e centralizar informações de todas as pacientes que realizarem mamografia no Sistema Único de Saúde.
O banco de dados terá desde nome e idade da paciente e local de realização do exame, até tempo de espera. Dessa forma, os gestores de saúde terão dados precisos dados sobre incidência, indicações dos procedimentos de diagnóstico inicial e rastreamento, além de indicadores sobre necessidade de auditorias e de capacitações locais.
O INCA já realizou o treinamento dos profissionais dos 27 estados para o uso do sistema. Para garantir o funcionamento da ferramenta, o repasse do pagamento dos exames aos prestadores de serviço pelo SUS será condicionado à atualização de dados do sistema. Hoje, estão em operação no SUS 1.246 mamógrafos, que realizaram em 2008 um total de 2.946.328.
Também este ano será lançado o Programa Nacional de Qualidade em Mamografia . A iniciativa tem como objetivo garantir a qualidade da imagem, a dose de radiação correta e a interpretação adequada das mamografias realizados no SUS em todo o país. A minuta da portaria que instituirá o programa será concluída este mês pela equipe técnica do INCA, e passará pela avaliação de instâncias do Ministério da Saúde e dos conselhos nacionais de Secretários de Saúde (CONASS) e de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), além de parceiros do programa.
As bases do programa foram construídas a partir de um projeto-piloto do Ministério da Saúde, com o apoio do Instituto Nacional do Câncer do Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR) e a Agência Nacional de Vigilância em Saúde (ANVISA), que contaram com o apoio do Instituto Avon.
O número de casos novos de câncer de mama esperados em 2009 é de 49.400, com um risco estimado de 50,71 casos para cada grupo de 100 mil mulheres. De acordo com os dados mais recentes (2006) de mortalidade do Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, 10.950 mulheres morreram em decorrência do câncer de mama.
Fonte: INCA

Por uma vida sem violência!

Hoje, recebi flores!... Não é o meu aniversário ou nenhum outro dia especial; tivemos a nossa primeira discussão ontem à noite e ele me disse muitas coisas cruéis que me ofenderam de verdade. Mas sei que está arrependido e não as disse a sério, porque ele me enviou flores hoje. E não é o nosso aniversário ou nenhum outro dia especial.
Ontem ele atirou-me contra a parede e começou a asfixiar-me. Parecia um pesadelo, mas dos pesadelos acordamos e sabemos que não são reais. Hoje acordei cheia de dores e com golpes em todos lados. Mas eu sei que ele está arrependido, porque me enviou flores hoje. E não é Dia dos Namorados ou nenhum outro dia especial.

Ontem à noite bateu-me e ameaçou matar-me. Nem a maquiagem ou as mangas compridas poderiam ocultar os cortes e golpes que me ocasionou desta vez. Não pude ir ao emprego hoje porque não queria que percebessem. Mas eu sei que está arrependido porque ele me enviou flores hoje. E não era Dia das Mães ou nenhum outro dia especial.

Ontem à noite ele voltou a bater-me,mas desta vez foi muito pior. Se conseguir deixá-lo, o que é que eu vou fazer? Como poderia eu sozinha manter os meus filhos? O que acontecerá se faltar o dinheiro? Tenho tanto medo dele! Mas dependo tanto dele que tenho medo de deixá-lo. Mas eu sei que está arrependido,porque ele me enviou flores hoje.



Hoje é um dia muito especial: É o dia do meu funeral. Ontem finalmente conseguiu matar-me. Bateu-me até eu morrer.


Se ao menos eu tivesse tido a coragem e a força para deixá-lo... Se tivesse pedido ajuda profissional... Hoje não teria recebido flores!




Fonte:E-mail recebido

domingo, 3 de maio de 2009

Opinião...

"Em seu relatório de 2008, a International Transparency situa o Brasil em 80º lugar, com nota 3,5 sobre 10, no ranking da corrupção. Estamos nivelados com Burkina Faso, Marrocos, Arábia Saudita e Tailândia. Perdemos até para a Namíbia, Tunísia e Gana, países onde as práticas são consideradas mais corretas do que aqui. É constrangedor o que o mundo pensa de nós! Estou convencido, caro leitor, de que temos a obrigação moral de enfrentar essa pauta, refletindo sobre a realidade que os números refletem. É intenção deste artigo, portanto, identificar o que nos conduz a tão lamentável reconhecimento mundial.Em contradição com a opinião de muitos, penso que o povo brasileiro é de boa índole. Nossa gente, em sua imensa maioria, tende a agir bem. Mas vem sendo submetida, essa boa gente, de modo sistemático, a uma estratégia perversora, cujo longo e tenebroso roteiro pode ser agrupado nos quatro conjuntos de ações que exemplifico a seguir, sem esgotar a pauta:
1. Ações pelo império do “politicamente correto”. Elas envolvem tolerar tudo, sempre, exceto a opinião do Papa. Combater a disciplina e jamais dizer “não” a si mesmo. Rejeitar a noção de limites. Inibir o exercício da autoridade nas famílias, escolas, instituições públicas e privadas. Abrandar as penas, tornar morosos os processos. Instaurar o império da impunidade. Assumir, como critério de juízo, a ideologia segundo a qual as vítimas da criminalidade são socialmente culpadas, ao passo que os bandidos são inocentes porque a sociedade os obriga a ser como são (tese do Marcola que coincide com o espírito da última Campanha da Fraternidade). Matreiro, Macunaíma, o herói sem caráter, piscará o olho.
2. Ações contra a identidade nacional. Elas envolvem reescrever a história do Brasil de modo a promover a cultura do ajuste de contas, da vingança e do resgate imediato de dívidas caducas. Denegrir o passado, borrar a imagem dos nossos grandes vultos, construir estátuas para bandidos e exibir, como novos modelos da nacionalidade, os peitos e bundas dos heróis e heroínas do BBB. Macunaíma esboçará um sorriso.
3. Ações contra a alma e a consciência das pessoas. Elas envolvem rejeitar, combater e, quando isso for inútil, tornar irrelevante a idéia de Deus. Sustentar que pecado é conceito medieval e que coisas como bem e mal são muito relativas, dependentes dos pontos de vista e da formação de cada um. Declarar obsoletos o exame de consciência, a coerência com a verdade e a retificação das condutas. Aceitar como válido que o erro de um sirva para justificar o erro de outro. Canonizar o deboche e debochar da virtude. Combater a Igreja desde fora, pela via do ateísmo militante, e desde dentro, invadindo os seminários com literatura marxista. Macunaíma rirá seu riso desalmado.
4. Ações contra a virtude. Elas envolvem atacar a instituição familiar, ambiente essencial à transmissão dos valores e assemelhá-la a uma coisa qualquer. Tornar abundante a vulgaridade. Servir licenciosidade e erotismo à infância e colocar a maior autoridade do país a distribuir camisinhas no carnaval. Evidenciar a inutilidade da Lei, tornando nítido, por todos os meios, que uns estão acima dela, que outros, sem quaisquer consequências, vivem fora dela e que outros, ainda, são credores do direito de a descumprir. Macunaíma, o herói sem caráter, rolará no chão, às gargalhadas."

Por Percival Puggina, Arquiteto e da Presidente Fundação Tarso Dutra de Estudos Políticos e Administração Pública.