sábado, 13 de junho de 2009

Dia do Motociclista Solidário!


Link:Tribuna de Petrópolis - http://64.182.246.200/

E-mail recebido:

Movimento Cívico Juntos Somos Fortes!
A Tragédia da Insegurança Pública no Rio de Janeiro
A Morte por R$ 30,00
Um Cidadão Fluminense Morre ou Desaparece por Hora
10.000 Morrem ou Desaparecem por Ano
CARTA ABERTA

Ao Povo Brasileiro;
À Mídia Nacional e Internacional;
Aos Policiais Militares;
Aos Bombeiros Militares; e
Aos Funcionários Públicos:

“O Movimento Cívico Juntos Somos Fortes!” nasceu do desdobramento das mobilizações cívicas ocorridas no Rio de Janeiro, nos anos de 2007 e 2008, quando Oficiais e Praças, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, no uso de seus direitos cidadãos, foram às ruas para cientificar à população fluminense sobre a grave crise vivenciada na segurança pública, diante do total descaso governamental, com os servidores públicos, que possuem a missão de servir e proteger os cidadãos fluminenses.
Os grupos mobilizados “Coronéis Barbonos” e “40 da Evaristos” encaminharam documentos formais ao Governador Sérgio Cabral (PMDB) e diante de sua total inércia, na adoção de medidas efetivas para solucionar a crise, foram às ruas, ordeira e pacificamente, realizando atos cívicos em Copacabana (2); Cinelândia (1) e ”Marchas Democráticas”(2) na orla do Leblon.
Informamos ao povo fluminense as nossas péssimas condições de trabalho, bem como, os nossos salários famélicos, espantando o cidadão fluminense, que surpreso não acreditava que arriscávamos as nossas vidas por cerca de R$ 30,00 por dia.
Os Oficiais e os Praças foram perseguidos pelo Governador Sérgio Cabral (PMDB) que os movimentou de OPM; puniu disciplinarmente; alterou leis; afastou de funções; cortou gratificações; impediu promoções e encerrou carreiras honradas.
Apesar de todas essas represálias, nós não desistimos e continuamos na luta, sobretudo através da internet, onde criamos a “blogosfera policial”, um fenômeno reconhecido internacionalmente, onde garantimos o nosso direito constitucional da liberdade de expressão.
Agora, voltaremos às ruas do Rio de Janeiro, mais uma vez, ordeira e pacificamente, considerando que a insegurança pública se agravou sobremaneira no atual Governo Estadual, se transformando em uma gigantesca tragédia, que resulta em milhares de assassinatos de cidadãos fluminenses.
A cada ano, mais de 10.000 cidadãos fluminenses são assassinados ou desaparecem (incendiados em fornos de micro-ondas, dados como alimento para porcos, sepultados em cemitérios clandestinos, etc) no Estado do Rio de Janeiro.
No dia 20 de junho de 2009, às 10:00 horas, realizaremos um ato cívico na Praia de Copacabana, na Avenida Atlântica com Avenida Princesa Izabel.
A luta é de todos nós, una-se a nós, mobilize-se e convoque seus amigos e familiares.
Venha salvar a si mesmo e aos seus entes amados, antes que eles possam ser a vítima da próxima hora.

Deus está conosco. MCJSF.

AIDS: Serra assume como dele programa criado por Lair e Jatene

Por: Conceição Lemes
*
Luiz Carlos Azenha
Link:http://www.viomundo.com.br/denuncias/aids-serra-assume-como-dele-programa-criado-por-lair-e-jatene/

quinta-feira, 11 de junho de 2009

"É PANDEMIA".....DIZ OMS

A Organização Mundial da Saúde declara estado de pandemia à gripe A H1N1, tendo subido o nível de alerta pandémico para o mais elevado (seis) por existir um risco aumentado e substancial de transmissão na população. A primeira pandemia do século XXI foi assim declarada.
Nesta fase, a estratégia passa pela minimização do impacto, através da implementação de medidas de adequação da resposta dos serviços prestadores de cuidados de saúde e de medidas de saúde pública, no que respeita à triagem e atendimento dos doentes.
As orientações da OMS,nesta fase, deverão ser usados equipamentos de proteção individual, os doentes e os seus contatos deverão ser isolados e deverão ser tomadas medidas relacionadas com a administração adequada de medicamentos antivirais e da vacina.
As seis fases, estabelecidas em 2005 a propósito da gripe aviaria e atualizada em 2009, são definidas segundo critérios claros que implicam a resposta dos países face ao risco pandémico.
A passagem de um estado a outro é decidida por uma Comissão de emergência do regulamento sanitário internacional uma instância composta por uma quinzena de especialistas internacionais convocados pela OMS.
FONTE:LUSAHOJE
*************************************************
ENTENDA AS FASES:
- Fase 1: Não foram detectados novos subtipos do vírus da gripe em humanos.
- Fase 2: Não foram detectados novos subtipos do vírus da gripe em humanos. No entanto, existe um subtipo do vírus da gripe em circulação em animais que apresenta um elevado risco de infecção humana.
- Fase 3: Existe infecção humana com um novo subtipo do vírus mas não foi detectada transmissão pessoa-a-pessoa, ou, no máximo, houve situações de transmissão para contactos próximos.
- Fase 4: Existem um ou mais pequenos surtos com transmissão pessoa-a-pessoa limitada. No entanto, a disseminação do vírus é completamente localizada, indicando que o vírus ainda não está bem adaptado ao hospedeiro humano.
- Fase 5: Existem surtos de maiores dimensões mas a transmissão pessoa-a-pessoa ainda é localizada, indicando que o vírus está a adaptando - se gradualmente melhor ao hospedeiro humano mas ainda não atingiu um nível de transmissão considerado eficaz (substancial risco pandémico).
- Fase 6: A pandemia está instalada: existe um risco aumentado e substancial de transmissão na população em geral.

SER LERDA É UM PROBLEMA SÉRIO!

TEM UMAS COISAS QUE NÃO ENTENDO.

O BRASIL ESTÁ COM UMA SAÚDE PÚBLICA NO CTI,UMA EDUCAÇÃO QUE VIVE SEMPRE REPROVADA,UMA MERDA DE SEGURANÇA PÚBLICA,UM SALÁRIO MÍNIMO DE PASSAR FOME.........E............EMPRESTA GRANA PARA O FMI?


Gabriela
A lerda

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Violência contra idosos na rede pública de saúde


Uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, que avaliou o atendimento a idosos em uma unidade pública de saúde de São Paulo, mostra como estas pessoas são as mais vulneráveis ao mau atendimento de parte dos servidores. “Os profissionais daquela unidade chegam a atuar de forma violenta, mesmo que involuntariamente. Não podemos generalizar e dizer que isso ocorre em todo o serviço público de saúde”, alerta a assistente social Marilia Viana Berzins. Em sua tese de doutorado Violência institucional contra a pessoa idosa: a contradição de quem cuida, a pesquisadora analisou a percepção de 16 profissionais de um serviço de emergência, entre atendentes, auxiliares de enfermagem, enfermeiros, capelão e assistentes sociais, à exceção dos médicos.


“Mesmo sabendo que algumas práticas no atendimento aos idosos beiram a violência, os profissionais envolvidos preferem culpar o colega ou até mesmo a instituição”, explica Marilia. Segundo ela, o Ministério da Saúde identifica nove exemplos de situações em que há violência em relação ao idoso. “Os profissionais identificaram seis situações que prejudicam o atendimento ao idoso: a peregrinação, ou seja, a desinformação nos setores que leva o paciente a ir a vários lugares fora e dentro do próprio serviço; falta de escuta e tempo para o usuário; frieza, rispidez, falta de atendimento e negligência; maus tratos com usuários motivados por discriminação quando a questão é a idade; detrimento das necessidades e direitos do usuário; proibição ou obrigatoriedade de acompanhantes com horários rígidos e restritos.


Em relação ao último item identificado, Marilia ressalta que o acompanhamento do idoso em internações hospitalares é um direito, de acordo com o Estatuto do Idoso. "O fato de ser um direito não o torna obrigatório. Na unidade de saúde estudada os servidores tornavam o acompanhamento obrigatório, causando problemas às famílias do idoso”, revela.


Entender a velhice


A pesquisadora aponta que um dos principais problemas entre os funcionários é como eles enxergam a velhice. “Em geral vêem como uma coisa ruim, até mesmo como uma doença. Uma situação que não desejam a si próprios”, lamenta Marilia. Ela lembra que, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2007, o Brasil possui 19 milhões de idosos. “Em 2030 as projeções indicam que poderemos ser 32 milhões de pessoas idosas”, cita a pesquisadora.


Entre as estratégias propostas no trabalho para melhorar essa situação, Marilia destaca uma melhor qualificação e capacitação dos funcionários que atuam no serviço público de saúde. Mas ela ressalta que o problema também está na gestão destes órgãos. “Profissionais e gestores têm de se conscientizar que velhice não significa doença e nem pobreza. O envelhecimento não é um problema social, como muitos consideram”, destaca. “É preciso discutir junto com todos os setores envolvidos o envelhecimento humano. As causas podem estar no próprio processo de trabalho. “É preciso reorganizá-lo, pois as formas de violência muitas vezes são sutis”, revela.


fonte:Agência USP


Comentário:É importante também lembrar,que a grande maioria, não reclama dos péssimos atendimentos, por medo de não serem atendidos.Isto vale não somente para os idosos,como para a população mais jovem em geral.É tão lamentável ver a pobreza que vivemos na administração da rede pública de saúde,que as pessoas sentem-se constrangidas de reclamar o que lhe pertence por direito constitucional.


A saúde é um direito constitucionalmente assegurado a todos, inerente à vida, bem maior do homem, portanto o Estado tem o dever de prover condições indispensáveis ao seu pleno exercício.


Saúde para todos nós

Gabriela



Comentário bem lembrado...

Aos 28 anos, a jovem Tatiana Medeiros Nunes Benvenut, que tem leucemia e está internada, conta com a solidariedade dos petropolitanos em uma campanha que será realizada no início de julho para identificar possíveis doadores de medula óssea.

Link:http://cravoecaneladegabriela.blogspot.com/2009/06/temos-que-fazer-nossa-partepoderemos.html

Adriana disse...

Um simples ato que pode salvar uma vida...
Lembro da Campanha de 2007, qdo cheguei ao Centro de Saúde p/ fazer a doação da amostra de sangue já não havia mais material p/ a coleta. Fomos instruídos a aguardar a divulgação de uma nova data, mas os agentes do HemoRio não voltaram, então fiquei sem fazer o cadastro.
Já vi os cartazes da nova campanha p/ a Tatiana em Petrópolis, e acho que deveria ser esclarecido que aquelas pessoas que já doaram as amostras de sangue em 2007 não precisam voltar novamente, já que estão cadastradas no REDOME (Registro Doadores de Médula Óssea), pois isso não geraria o tumulto que foi da última vez.
Que as pessoas se sensibilizem e compareçam.
Qualquer doação é um ato de Amor.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Passado e Futuro: os riscos de um retrocesso ético-político no campo da saúde mental




Por:Janaína Penalva- mestre e doutoranda em Direito, Estado e Constituição pela Faculdade de Direito da Universidade de Brasília -UnB.




Trecho: O artigo propõe uma reflexão sobre os riscos de retrocesso nas políticas públicas de saúde mental no Brasil. A partir de uma recuperação da condenação brasileira pela Corte Interamericana de Direitos humanos no caso Ximenes Lopes e de uma análise conjuntural das críticas à reforma psiquiátrica, serão sinalizados riscos de retrocesso em termos de direitos humanos na atenção à saúde mental.
Download:http://www.anis.org.br/serie/visualizar_serie.cfm?IdSerie=83

Prevenção de HIV/Aids: Vista a camisa!


No site do Luis Carlos Azenha - eu vi o mundo - há uma matéria muito bacana sobre HIV.
É para homens e mulheres ficarem espertos.
Perguntas e respostas foram bem claras.A maneira correta de colocar a camisinha também foi explorada.
Vale muito dar uma olhada.
Saúde para todos nós
Gabriela

Mulher Madura

"Quando resolvi escrever sobre a MULHER MADURA pensei em mim e em todas as mulheres de trinta, quarenta, cinquenta...não importa a idade, claro, não desmerecendo as mais novas, até porque pretendo falar de toda vivacidade que elas possuem.
A MULHER MADURA tem um jeito todo especial de ser.
Não é ventania, ela é ar em movimento.
Possui uma beleza peculiar que não se iguala a nenhuma outra. Pena daqueles que não sabem percebê-lo.
A MULHER MADURA não PEGA, TOCA.
não come, se ALIMENTA.
não provoca, já é PROVOCANTE.
não é inteligente, é SÁBIA.
não se insinua, mostra o CAMINHO sutilmente.
não se precipita, espera o MOMENTO CERTO.
não nada, NAVEGA.não voa, FLUTUA.
não pensa em quantidade, prefere QUALIDADE.
não vê, OBSERVA.
não anda, CAMINHA.
não deita, ADORMECE.
não é pretensiosa, simplesmente se GOSTA.
não julga, ANALISA.
não compara, ASSIMILA.
não consola, ACALENTA.
não acorda, DESPERTA.
não coloca algemas, deixa LIVRE.
não enfeitiça, ENCANTA.
não é decidida, apenas sabe O QUE QUER.
não é exigente, é SELETIVA.
não se sente velha, considera-se EXPERIENTE.
não se lamenta, tenta fazer DIFERENTE.
não tem medo, tem RECEIOS.
não faz juras, deixa por conta do TEMPO.
não tira conclusões, faz SUPOSIÇÕES.
“não desce do salto”, tem “JOGO DE CINTURA”.
não brilha, é ILUMINADA.
não dá tchau, ACENA.
não gosta de ser vigiada, prefere ser ESCOLTADA.
não é moderna, é ELEGANTE.
não quer ser cobiçada, prefere ser DESEJADA.
não tem sombras, tem AURA.
não adivinha, tem PERCEPÇÃO.
não faz sexo, é mestre na ARTE DE AMAR.
não fica, se ENVOLVE.
não é fácil, é FLEXÍVEL.
não manda, ADMINISTRA.
não aflora, é um constante FLORESCER.
Enfim, a MULHER MADURA é um conjunto de todas as belezas possíveis. É MULHER sensível, mas ao mesmo tempo uma verdadeira guerreira, é forte, mas é feminina. Muitos não possuem sensibilidade para perceber tal beleza, mas aqueles que a descobrem...preferem morrer nos braços dessa tal mulher, que não é DOCE mas que, simplesmente, é puro MEL."
Por:VANESSA PENA.
Comentário cretino da blogueira:Eu estou perplexa em saber como a autora descreveu minha pessoa com tanta propriedade,ela nem me conhece......rs.

Estudo indica que 31% dos adultos que tiveram câncer na infância fumam

Uma pesquisa realizada pela psiquiatra Célia Lídia da Costa sobre a incidência de tabagismo em pessoas que se recuperaram de câncer na infância revelou que 31% dos adultos que tiveram a doença fumam. Segundo a psiquiatra, ansiedade e estresse estão entre os motivos que levam essa pessoa que teve câncer a adotar um hábito que comprovadamente pode trazer novamente ao problema à tona.
Diretora do Grupo de Apoio ao Tabagista do Hospital A.C. Camargo, há cerca de cinco anos ela iniciou a pesquisa com 278 adultos, que será publicada na revista Public Health. O índice de 31% surpreende quando se compara à média da população fumante no Brasil - segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 18%. A incoerência pode espantar os leigos. Para Célia e outros especialistas, essa contradição é apenas aparente.
A psiquiatra diz ser comum as pessoas que sofreram de câncer apresentarem distúrbios como ansiedade ou estresse pós-traumático. “Esses problemas acometem grupos como sobreviventes de guerra ou tragédia e vítimas de sequestro.” Superar o câncer seria parecido. O fumo seria o atalho para suavizar esses sintomas. “Quando o indivíduo percebe que o cigarro ajuda a controlar depressão, ansiedade e outros problemas, vê que não consegue viver sem ele.”
Diretor da Associação Brasileira de Especialistas em Situações Traumáticas (Abrest), Eduardo Ferreira-Santos diz que o hábito de fumar está ligado à ansiedade. “Estudos mostram que a nicotina tem efeito calmante”, afirma o psiquiatra. “O fato é que o câncer predispõe (ao estresse). Mas, muitas vezes, a ansiedade é maior que o medo da reincidência. Por isso, as pessoas podem racionalizar: 'se eu já tive uma vez, dane-se'.” Segundo ele, o pensamento de que uma pessoa que vivenciou um sofrimento irá aprender com ele e evitar sua repetição nem sempre ocorre.
Fonte:Agência Estado

Em busca da cidadania plena...(clicar no título - leia,sinta e reflita)

LINK PARA INFORMAÇÕES:http://www.celprpaul.blogspot.com/

Documentário - Flores de Marcela

Já postei aqui,o depoimento de quem disse não,agora,o depoimento de quem optou pelo sim.Vale muito assistir e refletir sobre anencefalia.
Obrigada pela atenção
Gabriela



Plano emergencial para combate ao uso nocivo de álcool e drogas - RJ

O Ministério da Saúde (MS) investirá R$ 117,3 milhões na ampliação do acesso às ações de prevenção e tratamento do uso nocivo de álcool e outras drogas na rede de atenção e saúde mental do SUS (Sistema Único de Saúde) até o próximo ano. No Rio de Janeiro, 10 municípios receberão, ao todo, 11 novos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e 329 leitos de referência para tratamento de álcool e drogas. Atualmente, o estado tem 18 CAPs. Além disso, um CAPs (já existente, mas ainda não cadastrado) será credenciado no Rio de Janeiro para o fortalecimento da rede de saúde mental como um todo. O governo federal também oferecerá 80 cursos presenciais para 4 mil profissionais da rede de saúde e apoio social de todo o Brasil, com ênfase em saúde infanto-juvenil, álcool e outras drogas. Desse total, 17 cursos serão aplicados na região Sudeste.
  • MUNICÍPIOS BENEFICIADOS NO RIO DE JANEIRO

  • Rio de Janeiro, São Gonçalo, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Belford Roxo, Niterói, São João de Meriti, Campos dos Goytacazes, Petrópolis e Volta Redonda

15o Seminário Internacional de Ciências Criminais



PROGRAMAÇÃO DO 15º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DO IBCCRIM

25.08.2009

09h00 Sessão
de Abertura
09h30 – O grotesco na penologia contemporânea
Massimo Pavarini (Itália)
10h50 – Reflexões mínimas e tempestivas sobre o direito penal hoje
José de Faria Costa (Portugal)
14h00 Painéis 1º Bloco
Súmula vinculante em matéria penal
Mariângela Gama de Magalhães Gomes (SP)
Sérgio Sérvulo da Cunha (SP)
A Lei de Segurança Nacional e a criminalização dos movimentos sociais
Aton Fon Filho (SP)
Elmano de Freitas (CE)
Controle penal e política de drogas
Luciana Boiteux (RJ)
Vera Regina Pereira de Andrade (SC)
16h30 Painéis
2º Bloco
Videoconferência
Daniela Sollberger Cembranelli (SP)
Luiz Antônio Marrey (SP)
Visita íntima na medida socioeducativa
Maria Adrião (SP)
Wanderlino Nogueira Neto (RJ)
O sentido da pena na sociedade pósmoderna
Alamiro Velludo Salvador Netto (SP)
Fábio Guedes de Paula Machado (MG)
19h00 Audiência
Pública
Maria da Penha: uma história de luta
Maria da Penha Maia Fernandes (CE)

26.08.2009

9h00 – Os caminhos da harmonização penal internacional
Luis Arroyo Zapatero (Espanha)
10h40 – Globalização e crise econômica
Pedro Malan (Brasil)
14h00 Painéis
1º Bloco
Violência e espaço urbano
Ermínia Maricato (SP)
Paulo César Endo (SP)
Garantias constitucionais do processo: avanço ou retrocesso?
Eugênio Pacelli de Oliveira (MG)
Maurício Zanoide de Moraes (SP)
Anistia
Daniel Eduardo Rafecas (Argentina)
Marlon Alberto Weichert (SP)
16h30 Painéis
2º Bloco
Linchamento e xenofobia: catarse e dor
Carlos Serra (Moçambique)
Helena Singer (SP)
Informação privilegiada e crimes contra o mercado de capitais
Leonardo Alonso (SP)
Rodrigo de Grandis (SP)
Novos procedimentos do júri
Márcio Thomaz Bastos (SP)
Paulo Rangel (RJ)

27.08.2009

9h00 – Corrupção e direito penal
Ignacio Berdugo (Espanha)
10h40 – Política criminal pós11
de setembro
Joseph Margulies (Estados Unidos)
14h00 Painéis
1º Bloco
Aborto
Debora Diniz (DF)
Luiz Felipe Ponde (SP)
Prova Ilícita e direitos fundamentais
Diogo Malan (RJ)
Ingo Wolfang Sarlet (RS)
Reincidência e repressão penal
Eduardo Alcócer Povis (Peru)
Ricardo de Brito Albuquerque Pontes Freitas (PE)
16h30 Painéis
2º Bloco
Fronteiras do direito penal econômico e do direito tributário
Hugo de Brito Machado (CE)
Renato de Mello Jorge Silveira (SP)
Em busca do devido processo na execução penal
Amilton Bueno de Carvalho (RS)
Cláudio do Prado Amaral (SP)
Perspectivas da devida investigação criminal
Jésus Trindade Barreto Júnior (MG)
Marcos Carneiro Lima (SP)
19h00 Exibição
do filme “ A casa dos mortos”

28.08.2009

9h00 – Interrupção voluntária da gravidez e o direito penal: a evolução em
Portugal
Jorge de Figueiredo Dias (Portugal)
10h40 – Corrupção no setor privado
Luigi Foffani (Itália)
14h00 Painéis
1º Bloco
Carência de justiça: a reforma processual penal sob a ótica da assistência
jurídica
Denis Praça (RJ)
Fernando Calmon (DF)
Marcelo Semer (SP)
Pesquisa jurídica em ciências criminais
Pedro Abramovay (DF)
Salo de Carvalho (RS)
Interceptação telefônica
Ada Pellegrini Grinover (SP)
Nilson Naves (DF)
16h30 Palestra
de encerramento: Desafios atuais do Supremo Tribunal
Federal
Carlos Ari Sundfeld (SP)
Cezar Peluso (DF)
Gilmar Mendes (DF)
Virgílio Afonso da Silva (SP)

Rigor na seleção de juízes nos EUA deveria ser seguido - Editorial da Folha de S.Paulo - 8/6/2009

As controvérsias em torno da indicação da juíza Sonia Sotomayor para a Suprema Corte dos EUA dão nova demonstração de que o processo de escolha dos magistrados a quem cabe interpretar a Constituição está sujeito a vigoroso controle público naquele país. Sotomayor, caso seja aprovada pelo Senado, com maioria democrata, será o primeiro membro de origem hispânica a atuar naquele tribunal.
Antigas decisões da juíza já são apontadas como reveladoras de um "ativismo judiciário" que, segundo alguns críticos, seria excessivo no âmbito da Suprema Corte. Este polo critica as consequências de ações afirmativas envolvendo gênero e raça, que usurpariam a função do legislador. Do outro lado, grupos favoráveis ao direito ao aborto revelam desconfiança quanto à posição da magistrada no tema, ainda desconhecida.
Nos EUA, sem embargo do preparo técnico dos candidatos e de seu perfil cultural, o nome de juristas indicados para a Suprema Corte é em geral submetido a uma profunda sabatina pelo Senado. Suas opiniões a respeito de questões jurídicas e políticas, seu comportamento pessoal e sua atuação profissional são avaliados, sem cerimônia, pelo órgão responsável pela aprovação, com o acompanhamento atento da imprensa e de setores organizados da sociedade.
No Brasil, tem sido diferente. Os nomes indicados pelo presidente da República para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal são automaticamente chancelados pelo Senado. As sessões destinadas à sabatina dos candidatos costumam ter a duração de um relâmpago; lembram mais um ato de louvação e homenagem que um momento de avaliação pública e criteriosa.
Não é o caso de transpor para esse mecanismo de controle institucional visões estreitas e partidárias eventualmente utilizadas para submeter o Executivo a derrotas ou constrangimentos. Trata-se do preenchimento de uma função relevante de Estado e, como tal, o interesse público e a responsabilidade política estão acima de divergências momentâneas ou idiossincráticas.
É crescente a importância do Supremo. A corte tem sido chamada a dirimir conflitos de inegável impacto na vida política e cotidiana do país. É natural, portanto, que o processo de escolha de seus membros, apesar do arbítrio do chefe do Poder Executivo, se torne cada vez mais imune a motivações seja de natureza pessoal, seja de barganha política e corporativa.
Além dos requisitos constitucionais do notável saber jurídico e da reputação ilibada, é fundamental que a sociedade acompanhe o processo de nomeação e tome conhecimento dos compromissos dos candidatos. O problema não reside na mera indicação de um nome pelo presidente, como alguns críticos costumam sustentar, e sim na renúncia do Senado em exercer sua função constitucional. Bastaria que os senadores estivessem atentos e dispostos a cumprir seu papel que critérios impróprios de escolha seriam naturalmente abandonados.

Teste do pezinho

Tão importante quanto celebrar o nascimento de um bebê é procurar um serviço de saúde para fazer o teste do pezinho no recém-nascido.

O teste identifica determinadas doenças,como: hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria, anemia falciforme e outras hemoglobinopatias, além das aminoacidopatias. Todas são tratadas pelo Sistema Único de Saúde. O teste é feito após coleta de amostras de sangue, a partir de uma punção na região do calcanhar da criança.

  1. HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO -Se não for tratada precocemente, a doença pode levar a deficiência mental grave.
  2. FENILCETONÚRIA -Doença hereditária que pode levar ao atraso no desenvolvimento neuro-psicomotor e deficiência mental.
  3. ANEMIA FALCIFORME -Doença genética que traz complicações como anemia, infecções e insuficiência renal.
  4. HEMOGLOBINOPATIAS - Assim como a anemia falciforme, são causadas por alterações da hemoglobina. Provocam anemia crônica.
IMPORTANTE:Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.

Saúde para todos nós
Gabriela

Combate ao álcool e drogas

Segundo o Ministério da Saúde,a VIGITEL tem como objetivo monitorar a freqüência e a distribuição de fatores de risco e proteção para DCNT (As Doenças Crônicas Não Transmissíveis), em todas as capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, por meio de entrevistas telefônicas realizadas em amostras probabilísticas da população adulta residente em domicílios servidos por linhas fixas de telefone em cada cidade.

O ministério da Saúde decidiu atuar em caráter de urgência a expansão do consumo de drogas - álcool,crack,solventes e cocaína(pasta base,crack e merla),inalantes,drogas sintéticas,etc...É o PEAD/2009-2010(Plano Emergencial de Ampliação do Acesso ao Tratamento e Prevenção em Álccol e outras drogas).

O PEAD tem como finalidade criar ações de prevenção,promoção e tratamento dos riscos e danos associados ao consumo destas substâncias psicoativas.O público alvo são as crianças,adolescentes e jovens.

Segundo a Vigitel,o crescimento do consumo destas drogas aumentaram bem no país da corrupção - Brasil.O álcool continua sendo a droga mais usada.

Em 2008,19% dos entrevistados declararam ter consumido álcool em alguma situação nos últimos 30 dias.Em 2007,havia sido 17,5%,e em 2006,o primeiro ano do Vigitel,foram 16,1%.Em relação a faixa etária, continua sendo os jovens, os que mais bebem.
Se sair do papel com seriedade,é interessante.Outras ações serão postadas aqui sobre a PEAD.

Só para lembrar...não custa nada.............................................................................

Link - Polícia Rodoviária Ferderal:
















Saúde para todos nós
Gabriela

domingo, 7 de junho de 2009

Documentário:Uma História Severina

REFLITA SOBRE!- Documentário Completo neste espaço -
Gabriela

********************************************************************************
Ficha técnica:
Direção e Roteiro Debora Diniz e Eliane Brum Direção de Produção Fabiana Paranhos Edição Ramon Navarro Finalização Ramon Abreu Direção de Arte Ramon Navarro Xilogravuras e Cordel J.Borges Música-tema "A Semente da Dor e Sofrimento", de Mocinha de Passira O filme foi legendado para o Português, Espanhol, Inglês, Francês, Italiano, Japonês e Dinamarquês
***********************************************
Sinopse: Severina é uma mulher que teve a vida alterada pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. Ela estava internada em um hospital do Recife com um feto sem cérebro dentro da barriga, em 20 de outubro de 2004. No dia seguinte, começaria o processo de interrupção da gestação. Nesta mesma data, os ministros derrubaram a liminar que permitia que mulheres como Severina antecipassem o parto quando o bebê fosse incompatível com a vida. Severina, mulher pobre do interior de Pernambuco, deixou o hospital com sua barriga e sua tragédia. E começou uma peregrinação por um Brasil que era feito terra estrangeira - o da Justiça para os analfabetos. Neste mundo de papéis indecifráveis, Severina e seu marido Rosivaldo, lavradores de brócolis em terra emprestada, passaram três meses de idas, vindas e desentendidos até conseguirem autorização judicial. Não era o fim. Severina precisou enfrentar então um outro mundo, não menos inóspito: o da Medicina para os pobres. Quando finalmente Severina venceu, por teimosia, vieram as dores de um parto sem sentido, vividas entre choros de bebês com futuro. E o reconhecimento de um filho que era dela, mas que já vinha morto. A história desta mãe severina termina não com o berço, mas em um minúsculo caixão branco.«


"O único dever que possuímos com a história é de reescrevê-la" - Oscar Wilde

"O blog "Petrópolis no Século XX" é uma apresentação histórica e cronológica da cidade de Petrópolis. De seus fatos e acontecimentos ocorridos em pleno século XX. Escritos ou reescritos foi um século representativo para Petrópolis. Socialmente operário, reprimido, romântico... Enfim, um século desprovido do manto da origem teuta que o criou e o guiou pelo século XIX ou do elo monárquico que sempre o caracterizou em sua formação. Uma apresentação de sua identidade próxima, de suas realizações, de sua sociedade, política, economia, etc. A grande maioria dos textos, informativos, reproduzidos de artigos publicados sob a forma de ensaios na imprensa local desde 1982 e de pesquisas realizadas para a organização do centenário do jornal Tribuna de Petrópolis."
*
Proprietário:Oazinguito Ferreira da Silveira Filho
Professor de História de escolas públicas e particulares, de Petrópolis;Pesquisador, licenciado pela Universidade Católica de Petrópolis e especialista em História do Século XX com pós-graduação Lato Sensu pela Universidade Candido Mendes/Rio.
Foto de 1885 - Bairro Bingen

"O bairro do Bingem acabou sendo denominado pela população como "Dessete" devido as placas numéricas dos ônibus que circulavam na cidade, sua própria população até hoje o denomina assim. A linguagem coloquial na região afirma o proposto quando citam "...moro no Dessete!", "...vou para o Dessete!". Placas numéricas sempre foram comuns aos lotações das capitais, no caso de Petrópolis estes não eram constantes. Muito se afirma que este tipo de carroceria era produzido em Petrópolis em acabamento de madeira revestido por chapas por familias alemães como os Bade e comercializados para o Rio de Janeiro, sendo que alguns poucos circulavam em Petrópolis."
Comentário:Que bacana ter descoberto este espaço.Finalmente descobri porque falo:"Eu moro no Dezessete".
Gabriela

***********


A casa vai cair?....Já está caindo!!!!!!...O Centro Histórico de Petrópolis implora ajuda.



**************************************************************************
Casarões tombados estão sofrendo com o abandono e a falta de manutenção em ruas do Centro Histórico de Petrópolis. A poucos metros dos jardins do Museu Imperial, na Rua da Imperatriz, chama atenção o chalé Prefeito Paula Buarque, que desde que deixou de abrigar uma agência da Caixa Econômica Federal, em 2005, convive com o abandono. Atrás de tapumes, instalados no local no ano passado, a degradação avança.
Desde 2002, uma ação foi instaurada na 2ª Vara Federal, pela Promotoria da República em Petrópolis, e o caso vem sendo acompanhado pela Justiça. Em junho do ano passado, um acordo chegou a ser formalizado entre a CEF, que é responsável pelo prédio, e a Prefeitura. Na ocasião, esta se comprometeu a realizar a restauração do imóvel, o que não foi feito pelo então prefeito Rubens Bomtempo.
De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura, a administração do prefeito Paulo Mustrangi não tem conhecimento sobre qualquer acordo para a restauração do imóvel que pertence à Caixa Econômica. Segundo a diretora do escritório técnico do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Laura Bahia, um projeto apresentado pela CEF chegou a ser aprovado e atualmente o caso vem sendo acompanhado pelo Ministério Público Federal.
A Caixa Econômica informou que no momento está sendo feita a finalização da instrução para licitação. A expectativa é de que a licitação seja feita em 90 dias. Com isso, a previsão é de que as obras de restauração no casarão, com base no projeto já aprovado pelo Iphan, comecem antes do fim deste ano. Nesta semana, foi feita a contratação de uma empresa de limpeza para fazer a manutenção do jardim, que atualmente está tomado pelo mato. Segundo a Caixa, a expectativa é de que até o fim desta semana a limpeza da área externa seja providenciada.
Localizado na Praça da Confluência, o Casarão do Barão de Mauá também convive com a degradação. Apesar de alugado há anos pela Prefeitura, o imponente prédio construído entre 1852 e 1854, nas proximidades do também tombado Palácio de Cristal, chama atenção pela falta de manutenção. Nas paredes, as marcas de infiltrações e até mesmo o mato que cresce na fachada deixam à mostra o descaso com o patrimônio histórico e arquitetônico da Cidade Imperial.
A degradação do palácio também é alvo de um inquérito civil público instaurado pelo Ministério Público Federal em 2005 para cobrar providências quanto à recuperação do imóvel. A assessoria de comunicação da Prefeitura informou que atualmente na Casa Barão de Mauá funciona a Secretaria de Planejamento e o prédio não está aberto à visitação turística. Recentemente, uma avaliação começou a ser realizada pelo secretário de Planejamento, Agnaldo Goivinho, para que medidas mais adequadas possam ser tomadas em relação ao imóvel, que é alugado e foi encontrado pelo atual governo em péssimo estado de conservação.
Na Praça da Liberdade, via de acesso à Casa de Santos Dumont, o casarão de número 260 se destaca em meio aos prédios. Também com o estado de preservação da fachada precário, o imóvel atrai a atenção de turistas. “Eles passam por aqui, às vezes até tiram fotos, mas comentam que o casarão está muito feio. Como petropolitano, eu me sindo envergonhado em ver um casarão nessas condições em pleno Centro Histórico da cidade”, disse o taxista Leandro Afonso.
A presidente da Associação de Moradores e Amigos do Centro Histórico, Myriam Born, avalia que é difícil encontrar uma solução para o abandono e a falta de cuidados com os bens tombados de Petrópolis. “Não se percebe na sociedade e no poder público da cidade que haja uma consciência sobre a importância da conservação desse patrimônio, que é a identidade dessa cidade. Petrópolis tem um patrimônio de importância para a memória nacional, são as marcas do Império”, disse, ressaltando que a sociedade civil organizada tem a função de fazer este alerta.

Problemas na casa do Barão do Rio Branco
Na Avenida Barão do Rio Branco, dois prédios também tombados convivem com a mesma realidade: a Casa do Barão do Rio Branco e o Seminário São Vicente de Paulo. A casa de veraneio de José Maria da Silva Paranhos Jr., o Barão do Rio Branco, é tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Artístico e Cultural. No local, foi assinado, em 17/11/1903, o Tratado de Petrópolis, que uniu o território do Acre ao Brasil. O imóvel hoje tem paredes e teto com marcas de infiltrações e a fachada e os jardins estão mal conservados. Ali funciona atualmente a sede da Coordenadoria Regional Serrana III, da Secretaria de Estado de Educação do Rio.
A coordenadora Nereida Vinhais informou que o prédio é alugado pela Companhia Petropolitana de Desenvolvimento e que recentemente foi pedido pela Prefeitura e com isso será desocupado. Segundo ela, a manutenção é de responsabilidade da Secretaria de Educação, mas a Coordenadoria não tem recursos para arcar com o trabalho de restauração. “A verba que recebemos é pequena. Temos feito o possível para manter o local habitável. Fizemos a pintura e pequenos reparos, mas aquele é um prédio tombado, tudo que se pensa em fazer ali envolve restauração”, disse.
Também na Avenida Barão do Rio Branco, as condições precárias do conjunto arquitetônico do Seminário São Vicente de Paulo, prédio também tombado pelo Iphan, se destacam na paisagem. O prédio construído no século XIX apresenta sinais de degradação na fachada. O local guarda imagens francesas e uma biblioteca com 15 mil volumes que datam de 1800 e 1900, um acervo importante de livros em língua francesa, além de móveis históricos. O prédio precisa de reparos no madeiramento das varandas e também na pintura da fachada. Até dezembro do ano passado, o local abrigava seminaristas, mas hoje o espaço é utilizado apenas pelas pastorais Carcerária e Vicentina e padres da congregação.
De acordo com o coordenador do seminário, padre Geraldo Mol, a parte interna foi recuperada e exigiu um investimento de cerca de R$ 1 milhão. Mas, sem dispor de recursos para executar o restante da restauração, o seminário busca parcerias para concluir os trabalhos. “Estamos buscando parcerias, doações e convênios para que possamos dar continuidade nas obras, pois esse prédio é tombado. O trabalho de restauração custa caro. Fizemos até agora a primeira parte (o interior do prédio da frente), a restauração demorou quase um ano para ficar pronta e foram investidos quase R$ 1 milhão”, disse o padre, lembrando que interessados em contribuir para a restauração podem entrar em contato com o seminário pelo telefone (24) 2242-2723.
*
FONTE:Tribuna de Petrópolis

Tá frio, hein!!

"A temperatura baixou, e baixou muito!Uma boa ocasião para relembrarmos, a beira da lareira, as verbas federais que o município recebeu nesse ano. Onde está a reestruturação da educação? Cade a licitação para coleta de lixo? Onde está o reajuste salarial dos servidores que ganham menos que o salário minino? Se a CPTrans é uma empresa de economia mista e não pode exercer a função de disciplinar e fiscalizar o transito, por que continua atuando? Por que a Câmara Municipal e o Governo não criam uma autarquia para o Transito? Será que estão esperando a Justiça anular todas as multas e devolver o dinheiro para que se faça alguma coisa?O Governo Municipal nunca esquentou, com esse frio, CONGELOU! "
fonte:Partido Petrópolis- http://partidopetropolis.blogspot.com/
Comentário:O prefeito Mustrangi falando é uma piada...é nada com nada...acorda homem...ah,esqueci,o cara é PT!!!!!!
Gabriela

Petrópolis - Ônibus: falta dinheiro até para pagar salários

Sem dinheiro e sem crédito, as empresas não conseguem renovar a frota ou dar manutenção. O resultado são problemas cada vez mais frequentes.

As empresas de ônibus de Petrópolis estão com dificuldades até mesmo para pagar os salários de seus empregados, em meio ao que dizem ser a maior crise econômica e financeira de sua história. As informações sobre a situação vivida pelas empresas foram divulgadas pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Petrópolis (Setranspetro).
Segundo os dados divulgados, ao longo dos últimos cinco anos, os prejuízos gerados, a cada mês, desencadearam um desequilíbrio nunca antes apresentado. De 2003 a 2008, o déficit acumulado pelo Sistema de Transporte Coletivo chega ao total de 48 milhões de reais.
O sindicato afirma que, “para iniciar uma recuperação do setor é necessário a realização de políticas públicas que priorizem o transporte coletivo, desafogando o trânsito, gerando subsídios para gratuidade, diminuindo a tributação e promovendo a qualidade de vida da população e o crescimento do município”.
A crise teria sido desencadeada, segundo o sindicato, por muitos fatores. Dentre eles, o Setranspetro destaca a alta taxa de tributação que incide sobre as empresas operadoras do transporte, representando quase metade do valor da tarifa. Ao Sistema de Integração realizado no Centro, desde 2006, as empresas de ônibus atribuem uma queda de mais de 500 mil usuários pagantes no mês, sem que tivesse havido redução do custo operacional das empresas. O documento relaciona também, como razões da crise, o “altíssimo número de fraudes e de mau uso da gratuidade”. Hoje, o sistema estaria registrando que cerca de 50% dos usuários utilizam a gratuidade no transporte.
Ainda de acordo com o documento, “todos os custos de tributação, das fraudes e do mau uso da gratuidade, os prejuízos operacionais, provocados pela falta de planejamento do sistema de integração, pelos engarrafamentos, excesso de redutores de velocidade e pela falta de conservação e manutenção das vias, acarretam diretamente a oneração da tarifa”. O Setranspetro afirma também que, “a tarifa, que já apresenta um valor alto e, ainda assim, não supre as despesas das operadoras, proporciona uma crise sem precedentes, que atinge a todos, empresas e seus usuários. A cada dia, cada vez mais pessoas deixam de andar de ônibus”.
A crise econômica que atingiu o setor, na visão do sindicato, chegou a um nível de gravidade que impede que as empresas tenham recursos para arcar com suas despesas fundamentais, como o pagamento da folha de funcionários, dos custos operacionais e tributários. Nos últimos meses, as empresas precisaram recorrer a empréstimos financeiros para realizar o pagamento dos vencimentos de seus colaboradores e até mesmo para comprar óleo diesel.
O documento acrescenta que “a situação é tão grave que, hoje, as empresas já não podem mais recorrer a esses empréstimos, e portanto, lamentam profundamente, mas não possuem recursos para arcar com o reajuste dos salários, aprovado em maio, e nem com o pagamento em dia de todos os vencimentos de seus funcionários. Essa situação já está gerando protestos por parte da categoria dos rodoviários, que chegam a ameaçar atrasos no cumprimento dos horários, ação conhecida como operação tartaruga. Além dessa questão, todo o plano de investimento de renovação da frota, também não pode ser cumprido em 2008 e não existe previsão para cumpri-lo em 2009”.
Mesmo diante de toda crise, o Setranspetro ressalta que as empresas continuam se preocupando em prestar um serviço com segurança e qualidade à população. “Por esse motivo, toda a rotina das operadoras do transporte continua acontecendo diariamente. A população não precisa se preocupar, porque os ônibus continuam passando por manutenção e limpeza, os funcionários continuam recebendo determinações para cumprir horários e itinerários e todos os sistemas que estão em fase de implantação continuam funcionando, como por exemplo, a bilhetagem eletrônica”, acrescenta o documento.

Fonte:Tribuna de Petrópolis
Comentário:A Prefeitura de Petrópolis é responsável pelo serviço coletivo de transporte da cidade.Nunca tivemos realmente um prefeito que olhasse com carinho neste setor.Não acredito que o atual prefeito tomará uma atitude séria sobre o assunto.Por sinal,ainda não caiu a ficha para ele,que é um prefeito.Ele vive em total inércia!
Gabriela

Paula Fernandes - Jeito de Mato

Tem uma música que quando ouvi pela primeira vez,pensei,é bonitinha....mas....música de novela,não deu outra....já me falaram que está em uma novela desta da vida.
Almir Sater compôs a música e canta com uma moça talentosa da terra do pão de queijo,Paula Fernandes.Bem legal!

Excepcional é a sua sensibilidade!


Mariza,obrigada pela oportunidade de tê-la conhecido.Que honra!

Beijocas na ponta de seu nariz.

Gabriela