sexta-feira, 22 de maio de 2009

Ministério da Saúde ainda discute Política do Homem

No final de abril foi realizada em Brasília uma oficina de trabalho promovida pelo Ministério da Saúde sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. O objetivo do encontro foi discutir as ações que já estão incluídas no programa e verificar se há necessidade de incluir outras. Ainda haverá mais duas reuniões do gênero para discutir o projeto e o lançamento da política será adiada mais uma vez. Em vez de agosto de 2009, o programa agora está previsto para até 2011.A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) foi representada pelo presidente da comissão especial de Política Governamental e Doenças Urológicas, Fernando Diaz, e o presidente da Comissão especial de Urologia Militar, Sergio dos Santos Szelbracikowski.“O projeto de ações já em andamento foi apresentado a três grupos de trabalho, de forma a ser criticado. E foram várias as alterações sugeridas, desde detalhes de redação até modificações de objetivos, planos de ação, destinação de verbas e indicadores de resultados”, afirmou Diaz.A SBU continua realizando ações junto aos gestores de saúde municipais e estaduais para tentar viabilizar ações em defesa da saúde do homem o quanto antes. De acordo com os urologistas da rede pública, há homens que ficam na fila de espera para uma cirurgia de próstata por até cinco meses.Estiveram presentes à oficina centrais sindicais, entidades de especialidade médica, Associação Saúde da Família, Exército, acadêmicos, gestores de saúde entre outros.
fonte:Ministério da Saúde


PS:Importante lembrar que a doença tem aparecido cada vez mais cedo,a faixa etária está entre 40 e 50 anos.O preconceito masculino aos exames preventivos ainda persistem.Cuide-se!
*
Saúde
Gabriela

Um comentário:

Rico e Vivi disse...

No mesmo dia (27/10), em que o Ministério da Saúde lança a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, a sociedade civil organizada, por meio da Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG), publica o documento-marco “Princípios, diretrizes e recomendações para uma atenção integral aos homens na saúde”.
O objetivo deste documento é contribuir para a consolidação de políticas públicas de atenção integral aos homens na saúde, a partir de reflexões críticas e proposições, tendo por base a perspectiva feminista de gênero.
Esta publicação apresenta um conjunto de idéias, argumentos e informações sobre a atenção aos homens nos serviços públicos de saúde. Ela integra as ações do Projeto “Homens e atenção integral à saúde”, uma iniciativa do Instituto PAPAI, em parceria com o Núcleo de Estudos em Gênero e Masculinidades (Gema/UFPE) e com a Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG). A produção deste documento contou com apoio da Agência Canadense de Cooperação Internacional (CIDA), Ministério da Saúde, Save The Children, WCF e Unicef.
Maiores informações no site www.papai.org.br