sexta-feira, 19 de junho de 2009

Nise da Silveira - a mulher que revolucionou a psiquiatria no Brasil


“Pára de escrever, rapaz. Você é jornalista, oportunista, burro e ignorante. Sou contra o culto à personalidade! Biografia minha, não! Sai fora que você não tem chance, não vou admitir”. Foram frases desse tipo que Bernardo Carneiro Horta ouviu de Dra. Nise da Silveira enquanto tentava registrar a história de “uma das mulheres mais extraordinárias não só na cultura brasileira”.

No entanto, a persistência do autor, que durante mais de 10 anos freqüentou o Grupo de Estudos C.G.Jung, resultou num livro especial: Nise – Arqueóloga dos Mares. Para convencer Nise da Silveira sobre a idéia de manter sua memória no papel, Bernardo Horta recorreu à literatura, uma das grandes paixões da psiquiatra que foi amiga de Graciliano Ramos, Manuel Bandeira, Ferreira Gullar, Rachel de Queiroz e mais uma constelação de escritores, artistas e intelectuais.

Utilizando o conceito de “biografemas”, de Roland Barthes, Bernardo Horta escava a vida de Nise da Silveira como um arqueólogo e revela intimidades, com o aval de amigas íntimas de Nise como Martha Pires Ferreira, Zoé Chagas Freitas e Márcia Leitão da Cunha. O autor, que é formado em teatro e jornalismo, pontua a dramaticidade da psiquiatra que foi apaixonada por gatos e que muitas vezes preferia a companhia dos animais a dos seres humanos.

A leitura deste livro é um mergulho profundo no universo niseano; o leitor que se permitir levar pelos fragmentos de memória terá uma oportunidade única de conhecer a simplicidade da renomada psiquiatra brasileira, aluna de Carl Jung. O intenso amor de Nise pelos loucos gera uma reflexão sobre os nossos valores. Perguntas, muitas perguntas, surgem durante a leitura. Talvez a mais freqüente seja: “Nise planejou a vida que teve?”A entrevista com Bernardo Carneiro Horta – testemunhada pelo músico e estudante de psicologia Felipe Grillo e pelo fotógrafo Tomás Rangel –, em Copacabana, começou no bar da Modern Sound e terminou no Cafeína, devido a infinidade de histórias que surgiram de uma simples pergunta. E, mesmo assim, a sensação é que muitas outras perguntas interessantes ficaram sem respostas.

Em 2009 completam-se 10 anos da morte de Nise da Silveira, e desejo que o livro Nise – Arqueóloga dos Mares ganhe uma segunda edição à altura do seu conteúdo. Nise merece.

*****

Veja a entrevista completa no link:
******
Frases de Nise da Silveira:
1."Não me atrevo a definir a loucura."
2."Um diálogo é estimulante,a solidão também."
3."O que melhora no atendimento é o contato afetivo de uma pessoa com outra.O que cura é a alegria,o que cura é a falta de preconceito."
4."Estou cada vez menos doutora,cada vez mais Nise."
5."Eu não sou muito do passado,sou do futuro.Quem olha demais pra trás,fica."
*******
Espaço de Nise da Silveira
Link:

3 comentários:

Aconteceu Naquela Noite disse...

Pois é Gabriela,
seu blog é muito legal e de uma importancia cultural incrível, pq ele permite que pessoas possam aprender a serem um pouco mais cidadãs.
Por isso pensei em vc divulga-lo e nao deixa-lo somente para nós...
Alias, tenho comentand dele com meus alunos, espero que eles estejam lendo o que vc vem escrevendo
bjo

MarGGa disse...

Parabéns Gabriela, pela beleza de seu blog que, certamente não está no visual arrojado e nas malícias "internéticas", mas no espetacular conteúdo.
ABÇão
MarGGa

Bernardo disse...

Cara Gabriela,
Como vai tudo?
Escrevo para agradecer a citação de meu livro - Nise: Arqueóloga dos Mares - em seu Blog. Achei o Blog superlegal e com assuntos variados. Muito bem feito. Grato por ter pensado em Nise.
Viva Nise, viva a mulher brasileira!
Abraço, com admiração,
Bernardo C.Horta